HISTÓRIA DO KITESURF!

 

As primeiras tentativas de se utilizar o kite foram durante os anos 70. De lá para cá muita água se passou e o esporte, hoje em dia, é uma febre. Os principais responsáveis pelo desenvolvimento do esporte foram duas famílias: uma americana e especialmente uma francesa, os irmãos Legaignoux.

Confira os acontecimentos:

1982 - O americano Bill Roeseler, um projetista da Boeing e seu filho, Cory, usam uma espécie de asa delta de estrutura rígida de fibra de carbono para puxá-Ios sobre esquis aquáticos.

1984 – Os irmãos franceses Bruno e Dominique Legaignoux, navegadores, surfistas e windsurfistas, desenvolvem uma pipa com câmeras de ar que uma vez infladas, o ar não mais escaparia delas, permitindo que fossem erguidas novamente da água sempre que caíssem, sem precisar de ajuda de terceiros. A invenção é patenteada.

1985/1986 - Os irmãos Legaignoux participam de uma serie de regatas internacionais de velocidade com esquis aquáticos para desenvolver o  invento.

1992 – Bill e Cory Roeseler põem à venda o produto que patentearam e chamaram de Kiteski.

1993 - As pipas de estrutura inflável dos irmãos Legaignoux, as Wipika, começam a ser  vendidas no mercado.

1994 - Cory Roeseler leva o Kiteski à ilha de Maui no Havaí,  para mostrá-Io aos windsurfistas na Praia de Hookipa. É visto como motivo de piada  até todos perceberem que ele atingia velocidades maiores do que os windsurfistas.

1995 - Os surfistas americanos Laird Hamilton e Mike Waltze deixam o Kiteski em evidência ao testar as pipas rígidas com suas pranchas de surfe presas aos pés. É preciso que, enquanto um está na prancha, o outro ajude a reerguer a pipa sempre que ela cai na água. O windsurfista francês Manu Bertin, radicado em Maui, chega da Europa com as pipas infláveis dos irmãos Legaignoux e causa tamanha revolução que é até considerado o inventor do kiteboard. As primeiras pranchas específicas para o esporte também começam a ser desenvolvidas.

1998 - É disputado em Maui o que foi chamado de I Campeonato Mundial,nas modalidades Longa Distância, Wave e Slalom. Dos 24 competidores, entre homens e mulheres, 22 usam as pipas infláveis e apenas dois optam pelos kiteski. O americano Marcus Flash Austin é o campeão na classificação geral, com a pipa inflável. Cory Roeseler, com seu Kiteski, fica em segundo. O americano campeão mundial de windsurfe, Robby’ Naish, é o primeiro no Slalom e a windsurfista japonesa Tomoko Okazaki é campeã feminina, ambos com a estrutura inflável. O brasileiro Maurício Abreu, morador de Maui, adepto da pipa inflável, termina em sexto;

1999 - Mais competições internacionais são organizadas. Em Maui é disputado o primeiro King of the Air. Em Lecaute, França, homens e mulheres disputam juntos a Copa do Mundo. O americano Lou Wainman termina como campeão no geral, entre os 28 inscritos, e a francesa Anne Laure Pegon é a melhor entre as mulheres.

2000 - Criado o Kiteboard Pro World Tour, o primeiro Circuito Mundial do esporte. São disputadas seis etapas em todo o mundo, passando por países como Cabo Verde, Republica Dominicana, França e terminando no Rio de Janeiro, na praia da Barra da Tijuca, o francês Christopher Tasti e a neo-zelandesa Stephanie Gamble se tornam os primeiros campeões mundiais do circuito. O vencedor da etapa do Rio é o também o francês Franz Olry. Sua compatriota Anne Laure Pegon ganha entre as mulheres. O ano de 2000 é também o da chegada do esporte ao Brasil.

2001 – Segundo ano do Kiteboard Pro World Tour, novamente com seis etapas. O evento do Rio, na Barra, mais uma vez encerra o circuito e ainda ganha status de Campeonato Mundial Feminino. Os atletas fundaram o Kiteboard World Association (KWA). É criada a Associação Brasileira de Kitesurf (ABK), que promove o primeiro desafio brasileiro, em Araruama, vencido por Marcelo Cunha e Daniela Monteiro. 

A partir dai, o esporte continuou crescendo e ganhando cada vez mais praticantes.